Fundador do Telegram provoca rival e diz que “o WhatsApp nunca será seguro”

Agora que o Telegram voltou ao noticiário brasileiro por conta das reportagens do portal “The Intercept” com conversas privadas dentro do app entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador da Lava-Jato Deltan Dallagnol, vale lembrar que o aplicativo de mensagens deu há algumas semanas uma boa cutucada em seu eterno rival, o WhatsApp.

Um artigo assinado por Pavel Durov, o russo cofundador e atual executivo-chefe do Telegram, foi publicado no site oficial do app com o provocativo título: “Por que o WhatsApp nunca será seguro”. E não é uma pergunta, pois não termina com ponto de interrogação. Durov está afirmando mesmo.

Publicado em 15 de maio, antes das reportagens do “Intercept”, o texto começa recuperando duas falhas de segurança recentes envolvendo o WhatsApp: uma de maio deste ano, dava ao hacker a capacidade de vigiar remotamente os celulares-alvo por meio da câmera e do microfone do celular, além de extrair dados diversos do aparelho; e outra noticiada em outubro de 2018, que dava aos hackers o poder de travar o WhatsApp de terceiros a partir de uma chamada de vídeo.

E aí é que Durov vem com a tese dele:

“Toda vez que WhatsApp precisa consertar uma vulnerabilidade crítica em seu aplicativo, um novo aparece seu lugar. Todos os seus problemas de segurança são convenientemente voltados à vigilância, e se parecem e funcionam como backdoors.”

Pavel Durov, cofundador do Telegram.

“Backdoor” (“porta dos fundos”), para quem não sabe, é o termo técnico para um tipo de brecha de segurança que permita extrair dados pessoais e sensíveis de um programa ou sistema operacional sem que seu usuário se dê conta disso. Um backdoor pode ser implementado de propósito pela desenvolvedora do software.

Durov continua: “Em vez do Telegram, o WhatsApp não é de código aberto, então não há como os pesquisadores de segurança verificarem se há backdoors em seu código. O WhatsApp não apenas publica seu código, mas também faz o oposto: o WhatsApp ofusca deliberadamente os binários de seus aplicativos para que ninguém seja capaz de estudá-los”.

Mais: https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/redacao/2019/06/17/fundador-do-telegram-provoca-rival-e-diz-que-o-whatsapp-nunca-sera-seguro.htm

Mais do que uma solução tecnológica, somos uma decisão estratégica para as organizações.

Nossa missão é redefinir a relação das empresas com a cibersegurança e a experiência dos usuários no processo de autenticação e acesso a ativos tecnológicos.